Nissan stagea

400 WHP Nissan Stagea 260RS | Alter Ego do Skyline R34 GTR

A caminhonete esportiva Stagea foi desenvolvida pela Nissan como concorrente direto da Subaru Heritage no mercado doméstico japonês. Sua produção começou em 1996. Foram produzidas três versões diferentes do Stagea: WC34 I (1996 - final de 1998), WC34 II (final de 1998 - 2001) e a série M35 (de 2001 a 2007).

Os anos de lançamento de 1996-1998 da Stagea tiveram 17 e 1998-2001 - 19 opções, dependendo do tipo de unidade, tipo de usina e equipamento. As versões mais poderosas foram chamadas Aero.

Nissan Stagea

O corpo de Stagea foi transportado pela transportadora. A aparência do carro lembrava o modelo 3R31 Skyline. As dimensões do Stagea WC34 eram 4800/1755/1495 mm, com uma distância entre eixos de 2720 mm e uma esteira de 1460/1515 mm, a distância mínima ao solo era de 145 mm. O peso médio da máquina é 1620 kg. O equipamento padrão da cabine incluía estofados em veludo, airbags e acessórios de força. A versão mais poderosa do AUTECH, também chamada de 260RS, tinha as seguintes opções adicionais: freios BREMBO, um sistema de escapamento especial, suspensão reforçada, um estabilizador traseiro especial, um corpo particularmente rígido, um kit de corpo aerodinâmico e jantes com um design original. O interior era esportivo, incluindo estofados em couro, volante e alavanca de câmbio.

O Stagea WC34 estava equipado com motores a gasolina de 6 cilindros e 24 válvulas RB20E SOHC (130 hp) e RB20DE DOHC (155 hp) com um volume de 2 litros, além de RB25DE DOHC de 2,5 litros (200 hp) ) e RB25DET DOHC IC turbo (231 cv). A velocidade do carro com o motor mais potente chegou a 225 km / h, o que foi impressionante para observadores casuais, para quem Stagea parecia um vagão familiar comum. O consumo de gasolina de um carro com motor SR20DE de 2 litros foi de 8/14/100 km, RB25DE de 2,5 litros - 15/9/100 km, RB2 DET 2,5 litros - 9/16/100 km na rodovia e no ciclo da cidade, respectivamente .

Nissan Stagea

A transmissão usava principalmente tração traseira com a capacidade de instalar um diferencial de deslizamento limitado como opção. Alguns carros foram produzidos com tração integral permanente, um diferencial de deslizamento limitado e a possibilidade de variar o torque nas rodas dianteiras e traseiras. O Stagea WC34 usou transmissões manuais de 5 velocidades e automáticas de 4 velocidades.

Cremalheira da direção hidráulica e tipo de pinhão. Suspensão independente: dianteira com alavancas e hastes transversais e triangulares, traseira - articulação múltipla com alavancas longitudinais, transversais e diagonais. Barras anti-roll dianteiras e traseiras foram instaladas; também foram utilizados amortecedores telescópicos com molas helicoidais.

Os freios no Stagea WC34 eram discos totalmente ventilados. O ABS foi fornecido como padrão.

No outono de 2001, a geração Stagea na plataforma FM estreou com uma carroceria do tipo M35. Na verdade, era uma versão versátil do Skyline. Em termos de dimensões totais (4785/1760/1510 mm) e do volume do espaço interior, o Stagea chegou perto da classe européia E. A distância entre eixos foi de 2850 mm com uma faixa de 1505/1505 mm. O peso-meio-fio é 1680 kg e o máximo permitido - 1955 kg. Distância ao solo - 150 mm. Capacidade para bagagem - 500 l.

Nissan Stagea

O exterior do carro mudou significativamente. Uma grade do radiador alongada com hastes horizontais e grandes faróis arredondados em combinação com uma linha quase vertical da extremidade traseira deu à Stagea uma aparência característica e bastante agressiva.

Foram produzidas três modificações básicas: RS, RX e crossover com tração integral AR-X com maior distância ao solo e proteção plástica para asas e soleiras. Havia 11 variantes do Stagea M35 no total. A caminhonete de 5 portas e 5 lugares permanece a mesma espaçosa e espaçosa.

A gama de motores incluía um motor VHC de 2,5 litros VQ25DD V6 24V DOHC com 215 hp. e com um torque de 270 Nm, a mesma unidade turboalimentada com um intercooler - VQ25DET (280 hp / 6400 rpm, 407 Nm / 3200 rpm), além de um VQ30DD V6 de 3 litros, desenvolvendo 260 hp e 324 Nm. A velocidade máxima de um carro com qualquer um dos motores era limitada eletronicamente a 230 km / h.

As usinas foram agregadas com uma transmissão manual de 5 velocidades ou automática de 4 velocidades. A suspensão dianteira e traseira era multi-link; O sistema de freio não mudou. O tamanho padrão dos pneus era 215/55 R17.

A espaçosa perua Stagea, que possuía a dinâmica e a controlabilidade de um carro esportivo, praticamente não tinha análogos no mercado automotivo. No entanto, como parte do programa de corte de custos da Nissan, a gerência da empresa decidiu concluir a produção deste modelo. No início de junho de 2007, o último Nissan Stagea saiu da linha de montagem.

Add a comment